quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Viajando #3: Fethiye

Acho a Turquia um país fascinante, não apenas pela sua beleza, mas principalmente pela sua cultura milenar, pela mistura do oriente com o ocidente, suas cores, seus sons, seus sabores. Quando vi um cartão postal de Fethiye que minha amiga turca havia me mandado, disse para mim mesma que um dia conheceria aquele lugar. E nove anos depois, lá estava eu, com a mesma amiga turca, aproveitando os últimos dias de calor do outono às margens do mar Egeu.

Ölüdeniz, sua linda!
Fethiye é uma cidade da província de Muğla no sudoeste turco. Saindo de Istambul, são umas 2 horas de viagem até Dalaman, o aeroporto mais próximo à Fethiye. De lá pegamos um ônibus e uma van até Ölüdeniz, a praia mais famosa da cidade, e uma das mais famosas da Turquia. Nós não tínhamos reserva em nenhum hotel. Apenas tínhamos nossa malinha e um guia da Lonely Planet. Depois de dar uma xeretada em alguns lugares resolvemos ficar num hotelzinho simples e gostoso, com preço justo e boa localização. Aliás, achei o sul da Turquia uma pechincha comparado com os preços praticados nas cidades litorâneas brasileiras. Um hotel bem decente sai por uns USD 70,00 com café da manhã, que inclui obviamente tomate, pepino e azeitonas (sim, é meio bizarro).  A comida em geral não é cara e é muito boa, mas bem carregada na gordura e na pimenta. E o chá, esse é maravilhoso!

De dia, esse visual. De noite, puffs na "areia" e narguilé.
E nenhum farofeiro sem fone de ouvido

As minhas lembranças de lá são tão boas que tinha até me esquecido da mega alergia que tive no meio da viagem, quando fiquei toda embolada e me coçando dos pés à cabeça por dois dias inteiros, passando inclusive uma noite em claro de tanto que coçava.

Bom, sobre Ölüdeniz: a praia é simplesmente maravilhosa. A água é turquesa, cristalina e super gelada!  A praia, de rochas, é limpíssima e o mar idem. Todos os dias quando eu chegava na orla ficava babando com aquela paisagem. Ölüdeniz também é um lugar perfeito para se fazer paragliding: os ventos são ideais para a prática desse esporte e a vista, não precisa nem dizer: basta olhar as fotos. Em termos de divertimento o lugar não é muito agitado, principalmente à noite. Então a opção era beber cerveja assistindo campeonato turco no bar (eu e minha amiga adoramos futebol) e depois voltar pro hotel, jogar sinuca e continuar enchendo a cara com a gringaiada hospedada lá.
A qualquer hora do dia os paraquedas colorem o céu

Uma das atrações é fazer passeios de barco pelo litoral do mar Egeu. Minha amiga tava com vontade de conhecer um tal de Butterfly Valley, um lugar com fama de lindo, rústico e selvagem. O acesso se dá através de trilhas inimagináveis ou um barco que sai duas vezes por dia – se você estiver no vale e perder o barco, se ferrou, vai ter que ficar lá. E se ferrou mesmo porque no vale não tem alojamento (nem banheiro!). Algumas pessoas ficam acampadas lá (o que eu acho loucura total), mas aí é o gosto de cada um né. Como meu espírito de aventura é zero, só o fato de ter conseguido entrar no barco já valeu um causo de viagem, haha. 

Kelebekler Vadisi ou Butterfly Valley
Se você for pelas borboletas, não vá em outubro
... e não esqueça o repelente.

A conclusão é que apesar dos insetos, das picadas dos insetos, dos bichos estranhos soltos no mato, e do fato de eu ter visto apenas uma borboleta, o lugar vale a visita. É realmente muito bonito, a natureza grita na sua cara e o mar te convida para ficar. Mas é obvio que eu não fiquei. Sem cama e banheiro meu amigo, jamais, jamais dans ma vie!

Após deixarmos Ölüdeniz partimos rumo à Kaş, mas a continuação da viagem fica pro próximo post...

Bisous!

Um comentário:

  1. Hum... puffs na areia e narguilé... yumy! 8-)

    ResponderExcluir